Sustentabilidade (Pessoal)

O impacto do desenvolvimento sustentável e a Economia Digital

Sobre o que é o Desenvolvimento Sustentável? E por que ser um Pioneiro ODS (Objetivos de Desenvolvimento Sustentável) demanda tanto trabalho?

3 tendências que irão moldar a transformação para a próxima economia

Três tendências irão moldar a transformação para a próxima economia – A Economia Digital: Descarbonização, Descentralização e Digitalização, em paralelo a estas tendências, prevê-se que o consumo de energia crescerá em 50% nos próximos 40 anos. Ao mesmo tempo, temos que reduzir à metade as emissões de GEE (gases de efeito estufa) se quisermos manter o aumento da temperatura global abaixo de dois graus e gerenciar a poluição das cidades a um nível aceitável. Então, para fazer isso, temos que aumentar em 3 vezes nossa eficiência e aumentar a geração de energia renovável.

Isso coloca a plataforma EcoStruxure da Schneider Electric no centro desta transformação. Eficiência energética e automação desempenham um papel fundamental, ao mesmo tempo que integram toda a Cadeia de Valor Energético. Podemos realmente tornar a energia segura, confiável, eficaz e sustentável.

Com mais de 400 milhões de habitantes e crescimento projetado de 1,8% do Produto Interno Bruto (PIB) em 2018, de acordo com o Fundo Monetário Internacional (FMI), a América do Sul é uma região em desenvolvimento com grande potencial para crescimento. No entanto, levando em conta o estado do meio ambiente e a urgência em aplicar práticas sustentáveis globalmente, de forma a preservar nosso planeta para as futuras gerações, o progresso econômico da região – se realizado com toda sua força – pode se tornar uma grande ameaça.

No momento, é essencial que as empresas, os governos e a população tenham a sustentabilidade em suas agendas e rotinas. E pensar em sustentabilidade, vai muito além de bem-estar, do plantio de árvores ou da imediata compensação de danos feitos por cada negócio. Especialmente para empresas, a sustentabilidade e suas possibilidade hoje podem – e devem – ser vistas como oportunidades de negócio. E isso passa pela transformação de seus próprios modelos. Pela transformação do negócio em si.

O investimento para desmontar o modelo de negócios em vigor hoje, a fim de desenvolver um mundo melhor – que considera o meio ambiente e o desenvolvimento consciente nas esferas econômicas e sociais – é essencial. É urgente. Dados do Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente (PNUMA) já mostraram que a destruição da natureza causa perdas de até US$ 4,5 trilhões. Por outro lado, outros dados das Nações Unidas (ONU) apontam que as empresas que focam em inovação, ao mesmo tempo em que respeitam o meio ambiente, crescem a uma taxa anual de 15%, enquanto seus pares – não-sustentáveis – permanecem estacionados.

Os 17 Objetivos de Desenvolvimento Sustentável e suas 169 metas definidas pelo Pacto Global da ONU, atuam como um guia para as empresas entenderem a urgência em desenvolver um negócio sustentável e o impacto que essas ações – ou a ausência delas – pode ter a curto, médio e longo prazos.

2,3 bilhões de pessoas têm acesso precário à energia, e a escassez de água afeta mais de 40% da população. Nesse contexto, é essencial associar a prática do desenvolvimento sustentável com a inserção da base da pirâmide na economia.

Dito isso, a Schneider Electric está trabalhando fortemente em 12 dos 17 ODSs, dos quais eu destacaria quatro:

Acesso à Energia – ODS7. Fora das grandes capitais e dos grandes centros urbanos, 1,1 bilhão de pessoas ainda vivem sem acesso à energia, o que afeta o desenvolvimento econômico e social das pessoas nessas áreas. Esta relação é clara quando se vê que sociedades com melhor consumo de energia (que passa pelo uso consciente) tem IDH (Índice de Desenvolvimento Humano) mais alto.

A oferta recorrente de energia permite a aceleração das atividades econômicas e, consequentemente, a inserção de mais pessoas no mercado de trabalho. Por exemplo, na área rural, a energia elétrica permite acelerar processos e contribui com o crescimento gradual da produção. Ou, em uma pequena vila, a energia permite a um estabelecimento comercial, como uma loja ou um restaurante, manter seus produtos refrigerados, aumentando sua durabilidade e valorizando investimentos. Tudo isso sem mencionar que a oferta de energia é vital para o acesso à saúde, educação e segurança.

Ação Climática – ODS 13 e Consumo e Produção Responsáveis – ODS12. O que é bom para o clima é bom para a economia: a demanda global por investimentos de infraestrutura em transporte, energia, água e desenvolvimento urbano é estimada em cerca de 6.000 bilhões de dólares americanos anuais nos próximos 15 anos, enquanto 270 bilhões de dólares americanos no mesmo período seriam suficientes para desenvolver infraestruturas de baixo carbono.

Inconsequência é um mau negócio.

A Schneider Electric introduziu as Metas Baseadas em Ciência (SBT, na sigla em inglês) para auxiliar as empresas, assim como seu próprio negócio, a capitalizar oportunidades no novo cenário energético. A EcoStruxure é a melhor resposta para ajudar nossos clientes a consumirem menos energia, serem mais eficazes no uso de diferentes recursos e emitirem menos carbono.

Igualdade de Gêneros – ODS5. O quarto ponto é a inclusão mais efetiva de mulheres no mercado de trabalho. Hoje, as mulheres, por fatores culturais, ainda são menos consideradas no mercado de trabalho do que os homens. De acordo com o Relatório Gender Gap 2017, divulgado em 02 de novembro pelo Fórum Econômico Mundial, levará quase 100 anos para aproximar a diferença de renda e 217 anos para alcançar a igualdade no local de trabalho.

E esta diferença tem um impacto econômico mensurável. Uma análise feita pelo Instituto Global McKinsey (MGI, na sigla em inglês) em 95 países, sugere que US$ 28 trilhões seriam adicionados à economia global até 2025 se todos os países alcançassem igualdade econômica entre homens e mulheres.

Com tudo isso, é impossível pensar – e praticar – sustentabilidade sem levar em conta a inclusão social. E, além do papel dos governos, as empresas precisam entender que elas desempenham uma parte importante nessa transformação tão urgente. Eu repito, inconsistência e falta de consciência não são bons negócios. Os números mostram, o meio ambiente e a sociedade reagem.

E finalmente, não há forma de imaginar ou liderar um negócio de sucesso sem considerar qual solução real ele oferece às questões emergentes do mundo atual e qual é o impacto hoje e no futuro. Neste sentido, a pergunta permanece:

O que a sua empresa está fazendo para transformar o desenvolvimento em algo sustentável?


No Responses

Deixe uma resposta

  • (will not be published)