Sem Categoria

Como avaliações do sistema de potência influenciam na relação Risco – Confiabilidade

No ambiente de negócios “sempre ativo” de hoje em dia, é vital mitigar riscos que podem impactar a confiabilidade elétrica. Como qualquer sistema de engenharia, sistemas de distribuição elétrica de potência não podem ser projetados e construídos para operar 100% do tempo indefinidamente. A NFPA 70B afirma que: “A deterioração de equipamentos elétricos é normal, e falhas em equipamento é inevitável”. Dito de outra forma, verifique a condição de seu sistema elétrico de potência para reduzir o potencial tempo de inatividade! Por quê? Porque existe uma relação indireta entre risco e confiabilidade. Conforme a confiabilidade diminui, o risco aumenta e vice-versa.

Apesar da importância de possuir um fluxo confiável de eletricidade, muitos proprietários de instalações elétricas dependem de programas de manutenção reativa para cuidar de seus equipamentos, isso significa que esperam que o equipamento falhe completamente antes de iniciar uma ação corretiva. Isso é tipicamente 3-4 vezes mais cara que manter o equipamento através de uma manutenção pró-ativa. Um bom primeiro passo para mudar de reativo para pró-ativo é realizar uma avaliação do sistema para determinar o estado atual e a confiabilidade do sistema elétrico.

A noção de confiabilidade é mais uma probabilidade matemática do que uma condição física. Sem entrar muito profundamente em matemática, tabelas estatísticas e cálculos, confiabilidade elétrica é medida através de seu tempo ativo (sem falhas). Por exemplo, caso uma peça de um equipamento seja projetada com intenção de operar “X” anos continuamente, e ela opere, essa peça é 100% confiável para “X” anos. Após esse limite, caso ocorra alguma falha, a confiabilidade a partir desse limite “X” é abaixo de 100%.

Na ilustração básica a seguir, pense em cada peça do equipamento como uma em uma série de blocos, cada uma com sua própria estimativa de confiabilidade (%). Olhando rapidamente, parece que a série de peças é 90% confiável certo? Na verdade, a confiabilidade desse cenário simples é: 0.9 x 0.9 x 0.9 x 0.9 = 0.656 ou 65.6%.

Diminua a confiabilidade de um dos dispositivos para 70% por falta de manutenção e a confiabilidade total do sistema despenca: 0.9 x 0.9 x 0.9 x 0.7 = 0.51 ou 51%.

Agora considere a complexidade de uma fábrica, com uma infraestrutura elétrica que consiste de: painéis de distribuição de média e baixa tensão, transformadores de potência, No-breaks, centros de controle de motores, geradores…

Para calcular com fidelidade uma estimativa para todo sistema de potência elétrica, toda manutenção e registros de testes são necessários para cada componente do sistema, assim como documentação do sistema atualizado. Vale a pena notar que poucas companhias de manutenção elétricas podem realizar todos procedimentos recomendados para manutenção elétrica em cada um dos equipamentos elétricos dentro da fábrica. Também, localizar relatórios em diversos formatos de diferentes provedores de serviços pode representar um problema.

Uma avaliação do sistema de potência é uma opção viável para estabelecer a condição atual do sistema elétrico. Realizado por um engenheiro profissional, uma avaliação do sistema de potência pode também: determinar a vulnerabilidade da fábrica ou processo para os efeitos adversos de tempo de inatividade não planejado; estabelecer uma referência para manutenções futuras, testes, atualizações e atividades de expansão.

Mais importante, problemas com segurança são também identificados, realizando as recomendações corretivas, caso existam, irá reduzir riscos que podem impactar de forma positiva a confiabilidade do sistema elétrico.

Contate-nos para mais informações sobre como maximizar sua confiabilidade elétrica, ou caso tenha alguma dúvida no processo de avaliação do sistema elétrico.


No Responses

Deixe uma resposta

  • (will not be published)