Rede Inteligente

A Internet Industrial das Coisas é uma “evolução”, e não uma “revolução”

A próxima revolução industrial, Indústria 4.0, a Internet Industrial das Coisas (IIoT) – qualquer forma que você deseje chamá-la, é uma das principais megatendências que afetam nosso mercado hoje, e continuará a fazê-lo no futuro previsível. Então, onde estamos neste tópico e como estamos garantindo que o valor de nossa estratégia de IIoT é clara e relevante para o seu negócio?

Recentemente, escutamos de nosso líder, Jean-Pascal Tricoire, sobre o quanto a Schneider Electric está “colocando esta Internet das Coisas para trabalhar para empreendimentos, indústrias, cidades e espaços de moradia por todo o mundo. A IIot está quebrando segregações e fronteiras dentro dos negócios. ”   

As indústrias estão sendo movidas por investimentos crescentes em infraestrutura em novas economias, para impulsionar a modernização de sistemas e equipamentos envelhecidos, aumentar as regulamentações, aumentar a velocidade e a volatilidade do mercado e tendências de tecnologia conflituosas que mudam tudo. Para concorrer e ganhar nesse novo mundo – um mundo de 50 bilhões de dispositivos conectados em 2020, onde produzimos e consumimos de forma diferente, e com inteligência em todo lugar – você precisa de soluções práticas que tratem de suas necessidades específicas, não apenas mudança de tecnologia por uma questão de mudança.

Estamos nos aproximando do advento da Internet Industrial das Coisas como uma “evolução” ao invés de uma “revolução”. Desenharemos nossa longa história de inovação em arquiteturas abertas e tecnologias baseadas em Ethernet para guiar você através desta transformação. Por nossa definição, a Internet Industrial das Coisas traz à tona um mundo onde nossos produtos e sistemas inteligentes conectados operam como parte de sistemas maiores de sistemas que abrangem múltiplos Ativos Inteligentes Conectados. O resultado fornece valor palpável de negócios para você – seja você um usuário final ou um construtor de máquina. Valor como melhorias de eficiência e lucratividade, cibersegurança e inovação aumentadas e melhor gestão de segurança, desempenho e impacto ambiental.

Isto não é novo para nós. A Schneider Electric é uma pioneira da IIoT. Lançamos nosso primeiro sistema de controle distribuído digital – por sua própria natureza, digital e conectado – em 1987, quatro anos antes do lançamento da World Wide Web!  Até os anos 90, estávamos implementando a Ethernet e servidores da web em nossos controladores lógicos programáveis com Transparent Factory e Transparent Ready, enquanto nossos competidores ainda estavam ocupados promovendo protocolos particulares como Profibus e DeviceNet. E continuamos a inovar, com produtos e soluções tais como o premiado Modicon M580 ePAC, o primeiro controlados com Ethernet embutida bem em seu barramento de dados.

Além disso, já estamos fornecendo Produtos e Sistemas Inteligentes Conectados, e potencializando a nuvem e software avançado para fornecer soluções reais, tais como:

  • Códigos dinâmicos de QR para diagnósticos inteligentes que ajudam a reduzir a inatividade de plantas
  • Aplicativos móveis para configurar e controlar dispositivos para comissionamento mais rápido
  • Tecnologias sem fio e menos fios para reduzir custos de instalação
  • Softwares de otimização embutida em drives para reduzir o consumo de energia e aumentar os tempos de vida de bombas
  • Sistema em nuvem para configurar e testar DCS e sistemas de segurança para colaboração para reduzir custos de projeto e aprimorar a qualidade
  • Sistemas de suporte de decisão utilizando técnicas de modelagem/análise de dados avançadas para aconselhar os operadores em tempo real sobre o que fazer em caso de um evento não planejado para cadeias de fornecimento geograficamente dispersas

Isto não é coisa pequena – o que não contribui para “inteligência” se tornará uma mercadoria a longo prazo!  A de acordo com algumas estimativas, a Internet das Coisas como um todo poderia adicionar até $14 trilhões à economia global até 2030. Isto fará uma diferença real em práticas de negócios, procedimentos de operação e, geralmente, na forma fundamental com que abordamos a solução de problemas.


No Responses

Deixe uma resposta

  • (will not be published)