Data Center

Edge Computing: otimizando o Cloud Computing, reduzindo custos e aumentando o acesso aos dados

Edge Computing em uma forma simples de explicar é a descentralização do armazenamento ou processamento de dados permitindo que ele aconteça mais perto de onde os dados estão sendo gerados ou onde serão consumidos. Desta forma o Edge Computing permite que as ações sejam tomadas no local, no ponto de processamento.

 

Hoje em dia é comum que os dados estejam concentrados nas mãos de poucos. As redes são em grande parte centralizadas, com os dados se movendo das bordas de uma rede para o centro dela, muitas vezes um servidor de nuvem. Empresas e organizações coletam e armazenam dados a todo momento – até dados que podem ter pouco valor para eles. O Edge Computing permite processar estes dados e transmitir somente o resultado desta informação, assim um dado muito mais valioso.

Os principais benefícios do Edge Computing são:

  • Reduzir o volume de dados que precisa ser transmitido pela rede e por consequência o tráfego, além disso reduzir as distâncias percorridas. Desta forma também se reduz os custos de transmissão, se reduz a latência e se melhora a qualidade deste serviço;
  • Aumentar a segurança uma vez que qualquer tipo de falha fica limitada a um único ponto ao invés de interferir na rede inteira;
  • Aumentar a redundância e a disponibilidade já que os dados estão replicados localmente.

 

As principais aplicações:

  • Internet das Coisas (IoT): As tecnologias que permitirão que tudo seja “inteligente”- cidades, agricultura, carros, saúde, etc – exigem a implantação maciça de sensores de Internet das Coisas. Para armazenar e processar este enorme volume de dados uma boa alternativa para complementar a infraestrutura dos grandes Data Centers são os micro Data Centers distribuídos e localizados próximo ao local onde os dados estão sendo gerados. Desta forma desobstrui-se as infraestruturas, evitando problemas de latência e gerindo eficazmente as funcionalidades de tempo real exigidas pela IoT;
  • Aplicações locais: A necessidade de manter ou aumentar a disponibilidade de TI e suas redes é quase sempre a principal preocupação existente. O Cloud Computing sempre foi uma arquitetura centralizada. O Edge Computing transforma o Cloud Computing em uma arquitetura mais distribuída. A principal vantagem desta aplicação é que qualquer tipo de interrupção fica limitada a apenas um ponto na rede em vez de toda a rede.  Qualquer ataque a segurança do sistema seria limitado ao dispositivo de Edge Computing e não a todas as aplicações em execução em Cloud Data Center. As empresas que migraram para o armazenamento replicado podem tirar proveito da vantagem da maior redundância e disponibilidade. Aplicativos críticos de negócios ou os aplicativos necessários para operar as principais funções da empresa podem ser duplicados no local.
  • Distribuição de conteúdo de banda larga: A fim de aliviar o congestionamento da rede para melhorar a transmissão de conteúdo de banda larga, os prestadores de serviços estão interligando um sistema de computadores na Internet que armazena o conteúdo mais próximo do usuário. Isso permite que o conteúdo seja rapidamente aberto pelos vários usuários através da duplicação do conteúdo em vários servidores e direcionando o conteúdo para a sua proximidade. Esses computadores que armazenam conteúdo são um exemplo do Edge Computing.

No Responses

Deixe uma resposta

  • (will not be published)