Gestão de Energia

Como aumentar em até 80% a eficiência energética sem prejudicar o meio ambiente

O CO2 pode ser invisível, mas seu impacto não é. Países de todo o mundo se comprometeram a reduzir  as emissões de CO2 e de outros gases de efeito estufa em quase um terço nos próximos dez anos. Isso significa que as iniciativas de energias renováveis e aumento da eficiência energética vão se multiplicar, em parte, promovidas por normas governamentais.

Bem, esse é o quadro geral. Mas, como isso se relaciona com uma fábrica?

Isso depende, em parte, da localização de sua instalação. Países e regiões lidam com o tema da economia de energia de maneiras diferentes. Alguns têm metas de economia de energia, com penalid ades caso os alvos não sejam atingidos. Assim, economizar energia é quase uma necessidade.

Mesmo quando esse não for o caso, reduzir o consumo de energia tem seus benefícios. Por exemplo, quando kWh são economizados, os resultados da empresa, em dólares, euros ou qualquer outra moeda, melhoram.

Agora, quando o objetivo é aumentar a eficiência energética em uma instalação ou em uma máquina, grandes componentes, como o ar condicionado, a caldeira ou os grandes motores, costumam ser observados. Então, há um investimento em novos processos ou em conversores de frequência para reduzir e otimizar o consumo de energia, a fim de manter ou melhorar os níveis de produtividade.

Mas tenho um sugestão para você. Não pare nesse ponto. Considere tudo, mesmo componentes que são quase invisíveis.

Vamos ver o caso dos contatores. Geralmente, eles são eletromecânicos e costumam ser negligenciados quando uma máquina é atualizada. É possível que para otimizar ainda mais os processos, novos componentes eletrônicos, como CLPs, interfaces homem-máquina, conversores de frequência e sensores, sejam instalados nas máquinas. No entanto, os componentes eletromecânicos, geralmente, não são alterados.

Uma abordagem melhor é considerar a atualização dos contatores ao mesmo tempo. Tanto em uma atualização como em uma nova implementação, é conveniente incorporar a tecnologia mais nova e eficiente em termos de energia.

Por exemplo, agora há contatores com controle eletrônico de bobina. Assim, eles podem ser até 80% mais eficientes em termos energéticos se comparados às bobinas de contatores eletromecânicos de CA ou CC tradicionais. Um único contator não vai economizar muita energia. Mas, se uma instalação tiver máquinas com milhares de contatores, essa economia começará a aumentar.

Além disso, há outras maneiras de gerar economia com a implementação de contatores de tecnologia avançada. É possível que esses dispositivos precisem de menos materiais, se tornando componentes mais sustentáveis em seus sistemas de automação. Os contatores mais antigos precisam de um relé de interface para se conectarem com o controlador e suas entradas/saídas (E/S). Os contatores de nova geração de gama mais alta permitem a conexão de E/S direta. Assim, o sistema se torna mais simples e a quantidade de componentes é reduzida.

A eliminação de componentes e a redução do consumo de energia têm efeitos em cascata. Permite reduzir o tamanho dos transformadores e fontes de alimentação. Podem ser usados ventiladores de armários de menor tamanho, pois, quando a energia consumida é menor, o calor a ser dissipado também é menor.

Além disso, a nova geração de bobinas com controle eletrônico reduz a quantidade de peças padrão necessárias em um fator de 10 se comparadas aos contatores eletromecânicos. Com apenas quatro códigos de tensão você cobre tensões de 24 V e 500 V em CA e CC. Como resultado disso, é possível simplificar a cadeia de suprimentos. Outro benefício é que o volume de peças em estoque diminui, simplificando a manutenção e reduzindo os custos.

Há ainda outra forma em que a tecnologia de contatores pode ajudar a melhorar os resultados da empresa, e também tem a ver com a energia. Mas não é a conservação de energia. Às vezes, o fornecimento de energia não é confiável e pode se interromper. Mas, mesmo não havendo interrupções, as situações de subtensão podem fazer com que o contator abra. Por exemplo, se a entrada de linha para uma máquina cair por uns instantes de 240 para 100 V e um contator abrir, a máquina vai parar. Então, deverá ser reiniciada, o que pode levar tempo e desperdiça energia.

A maneira de evitar esses problemas é aderir à SEMI F47, certificação relacionada à imunidade ante situações de subtensão. Assim, os equipamentos se tornam mais confiáveis e produtivos. Os tempos sem operação são reduzidos.

Para conhecer uma implementação de contatores de nova geração,
consulte as informações de nossos dispositivos TeSys D, da família Green Premium. Eles são sustentáveis, compatíveis com a diretriz RoHS, e são projetados e fabricados de forma responsável, atendendo às normas mais rigorosas da indústria. Você também pode fazer o download de nosso Catálogo e assistir o vídeo.

Um Response to “Como aumentar em até 80% a eficiência energética sem prejudicar o meio ambiente”

  1. caique

    Ótimo, contatores bastantes eficientes!

    Estou trabalhando com um sistema de refrigeração termoelétrica, utilizando pastilhas Peltier. O nosso projeto é referente a isto, aos impactos causados pelo co2 lançada na nossa atmosfera, na qual é de baixo consumo energético, sustentável e limpo sem fluido refrigerante tóxicos.

    Parabéns pelas iniciativas!

    Responder

Deixe uma resposta

  • (não será publicado)